Lições de liderança inspiradoras do Corpo de Bombeiros

Trabalhando como gerente de programas para uma empresa de médio porte, o meu diretor de operações se aproximou de mim para discutir uma possível promoção. Nossa empresa estava em processo de fazer algumas mudanças de liderança estratégica, e eu estava sendo convidado a assumir uma região três vezes o tamanho da minha atual. Após uma breve discussão, o COO terminou por me fazer uma pergunta incisiva. Ele disse: “Com três locais de trabalho situados a muitos quilômetros um do outro, como você vai lidar com uma região assim grande?”

Eu tinha uma resposta simples: “Da mesma forma que eu lidei com meu batalhão enquanto servia como comandante do Corpo de Bombeiros de Los Angeles”. Minha resposta foi curta e direta ao ponto – mas requer uma explicação mais detalhada.

Como a maioria das pessoas, sou o produto de experiências passadas que, em última instância, deram forma a quem sou. O meu passado profissional inclui 25 anos com o Corpo de Bombeiros de Los Angeles, com a maioria do tempo gasto liderando os outros através de situações desafiadoras, como incêndios, inundações, terremotos, motins e muito mais.

Lições de liderança inspiradoras do Corpo de Bombeiros

Como capitão e comandante do batalhão, eu estava em uma posição que exigia habilidades de liderança que poderiam inspirar uma força de trabalho para desempenhar de forma extraordinária. Por exemplo, era importante assegurar a liderança para as várias equipes de combate a incêndios para transformar com êxito o caos em controle em uma ampla gama de situações de emergência. Para que isso acontecesse rapidamente – arregaçando as mangas na cena, eu sempre anunciava pelo rádio para todos os níveis de liderança ouvirem: “Na cena e no comando”. Esta declaração de cinco palavras parece ser uma formalidade, mas, na verdade, representa um checklist mental para ações críticas que farão qualquer líder mais bem-sucedido em tudo o que ele ou ela estiver tentando realizar através dos esforços dos outros.

Quando um líder “assume o comando”, ele está iniciando um trabalho em equipe organizado e bem coordenado. Assumir o comando de uma emergência de incêndio, uma nova posição de negócios, ou qualquer outra coisa, irá capacitar uma força de trabalho ao definir a cadeia de comando: a gestão e a liderança para decidir prioridades operacionais. Este processo, testado e comprovado tanto em incêndios como nos negócios, também serve para estabelecer canais de comunicação, a metodologia para adquirir recursos necessários, e a autoridade para todas as diretrizes futuras.

1. Desenvolver a consciência situacional

Aceitando ansiosamente o novo cargo de Diretor Regional, percebi que eu não sabia muito sobre a situação atual na região. Diante dessa falta de conhecimento, eu precisava assumir o comando de forma semelhante à que tive durante a minha carreira de combate ao fogo todas as vezes que respondia a uma nova e desconhecida situação de emergência. Isso me permitiria desenvolver a consciência situacional, que incluía aprender tanto quanto possível sobre os recursos pelos quais eu era agora responsável. Considero como recursos: pessoas, coisas, dinheiro e tempo. Comecei com o recurso mais importante através de entrevistas com todas as pessoas que trabalhavam na minha região, com especial atenção para os líderes de primeiro nível (meus subordinados diretos), em cada local de trabalho.

2. Comunicação bidirecional

Ao ter conversas aprofundadas com as pessoas em minha equipe, eu estava conscientemente praticando comunicações bidirecionais a fim de aprender o que eles já sabiam sobre a situação atual. A simples arte de comunicação nos dois sentidos é lembrar que falamos e, em seguida, ouvimos; ou ouvimos, e depois falamos. Tentar fazer as duas coisas ao mesmo tempo simplesmente não funciona. Então, devemos ouvir para compreender, e depois falar para sermos entendidos. Este estilo de comunicação também significa que a informação e as ideias fluem em duas direções. Não podemos desenvolver com sucesso a consciência situacional sem seguir o processo de comunicação bidirecional.

3. Definir Sucesso

Entendendo a real situação atual, eu poderia começar a desenvolver algumas ideias sobre o que precisaria melhorar e como essas melhorias iriam acontecer. Eu era capaz de definir o sucesso de uma maneira que todo mundo entenderia o que eles estavam tentando realizar, além de andar todos juntos para frente.

Imagine equipes de bombeiros lutando para extinguir um incêndio de grandes proporções, ou equipes de pessoas de negócios trabalhando para desenvolver uma linha de produtos, ou prestar excelente serviço ao cliente; sem que o líder de cada grupo tenha definido o que é o sucesso. Ambos os exemplos seriam uma confusão caótica com uma probabilidade muito baixa de entregar um bom resultado. Quando um líder assume o comando, todos os envolvidos sabem a sua definição de sucesso.

4. Definir e priorizar metas

Uma vez identificado o que seria o sucesso em uma região, meu próximo passo era definir e priorizar as metas para realizá-lo. É importante para os líderes definirem metas para a sua equipe, e, ainda mais importante, priorizar essas metas. No combate ao fogo, distrações e prioridades concorrentes estavam sempre presentes. Conhecer os objetivos em ordem de prioridade permitia que todos os níveis de liderança tomassem boas decisões. Da mesma forma, no mundo dos negócios, descobri que interesses concorrentes e distrações podem fazer qualquer um perder o foco. Torne conhecidas as prioridades para os objetivos da equipe para que todos os seus colaboradores possam tomar boas decisões, permitindo que façam as coisas certas, pelas razões certas, no momento certo.

5. Ser Responsável

O passo final na tomada de comando é ser responsável. Apropriar-se de suas ações, e as ações de suas equipes. Ser responsável é aceitar a sua posição, e seu dever de servir as responsabilidades desse cargo.

Você tem um trabalho importante a realizar através de outros? Quando se pensa sobre isso, ao assumir o comando da minha nova posição, eu tinha criado uma visão de como iria melhorar a situação atual dentro da minha região. Quando você assume o comando de qualquer coisa que você e sua equipe estejam fazendo, você terá uma visão para um futuro desejado para compartilhar com todos os envolvidos. Lidere para inspirar usando um processo que tem sido testado e comprovado nos incêndios e nos negócios para atingir os sucessos que só podem acontecer através dos esforços dos outros.

Ambos, combate a incêndios e organizações de negócios, exigem que os líderes saibam como assumir o comando e liderar com visão. Siga esses cinco passos críticos e esteja no caminho para se tornar um líder mais inspirador.

Seja qual for a sua tarefa, profissão ou posição: use estes cinco passos para pensar e agir como se você estivesse na cena e no comando. Lembre-se que comando é visão, e líderes visionários são líderes inspiradores.

Fonte: The CEO Refresher, Tom Pandola | Traduzido e adaptado por Moderattus

2017-12-19T08:43:34+00:00 9 de julho de 2015|